Páginas

Pesquisar este blog

Carregando...

sábado, 7 de janeiro de 2012

RECEITA DE ANO FELIZ!!!!!

João Pessoa 07/01/2012


Bom dia!!!




Pegue 12 meses inteiros.
Limpe-os bem, tirando toda a amargura, ódio e inveja.
Deixe-os tão limpos quanto possível.
Depois, corte cada mês em 28, 30 ou 31 partes diferentes;
mas não pegue todas de uma vez só.

Prepare-as pouco a pouco, atento aos ingredientes.
Misture bem, em cada dia, uma porção de fé, uma de paciência, uma de coragem e uma de trabalho.
Adicione uma parte de esperança, lealdade, generosidade, meditação e boa vontade.
Tempere tudo com pitadas de espiritualidade, diversão, um pouco de brincadeiras
e um copo cheio de bom humor.

Despeje tudo isso numa tigela de amor.
Cozinhe bem, com muita alegria, e enfeite com um sorriso.
Depois sirva tranqüilo, desapegado e carinhosamente.
Assim você estará destinado a ter um

FELIZ ANO NOVO!

Que esse ano seja prospero com muita saúde,luz,,força,sucesso e dinheiro!!!!
Que DEUS possa estar conosco!!nesse ano que estar se iniciando!!
Gleidson
Bom fds pra todos!!

domingo, 25 de setembro de 2011

PsiConversa: Você é um psicólogo, sabia?

PsiConversa: Você é um psicólogo, sabia?: É engraçado como alguns não gostam de psicologia e por isso nem se dão conta que usam ela no seu dia-a-dia. Coisas simples do nosso cotidi...

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Tudo tem significado!!!!!!.


Hoje vou falar de mim,

O seu esforço para viver e trabalhar, suas
dificuldades, têm um alto significado.

Nada é feito sem finalidade, sem valor.

Cada pensamento, cada palavra, cada ato,
representa algo para o seu destino final.

E a cada passo com amor você cresce,
aperfeiçoa-se, sublima-se.

Por isso, a luta redime.

Você supera resistências.

O destino final de todos é a infinita felicidade
e a perfeita comunhão com Deus.
Autor Lourival Lopes
Com esse poema eu agradeço a vida por tudo,pelos obstaculos,os encontros,desencontros,aos meus amigo de verdade,as pessoas que entrarão e que de uma forma sairão dela por varios motivos,aos que partirão e deixou sua marca na minha alma,com su carinho,apoio e lições,ao novo ciclo de vida que estou vivenciando,muito obrigado!!!
Família,
Amigos de trabalho do espaço LGBT
Amigos Psicólogos(as),
Amigos que encontrei na vida,


A meus amigos virtuias,
Amigos reais,pelo carinho,respeito!!!
Fote abraço aquem passar e bom fim de semana!!!

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

A Idade de Ser Feliz!!!!

João Pessoa 31/08/2011

Existe somente uma idade para a gente ser feliz,
somente uma época na vida de cada pessoa
em que é possível sonhar e fazer planos
e ter energia bastante para realizá-las
a despeito de todas as dificuldades e obstáculos.

Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente
e desfrutar tudo com toda intensidade
sem medo, nem culpa de sentir prazer.

Fase dourada em que a gente pode criar
e recriar a vida,
a nossa própria imagem e semelhança
e vestir-se com todas as cores
e experimentar todos os sabores
e entregar-se a todos os amores
sem preconceito nem pudor.

Tempo de entusiasmo e coragem
em que todo o desafio é mais um convite à luta
que a gente enfrenta com toda disposição
de tentar algo NOVO, de NOVO e de NOVO,
e quantas vezes for preciso.

Essa idade tão fugaz na vida da gente
chama-se PRESENTE
e tem a duração do instante que passa.

Autor desconhecido
Gleidson Marques Silva
CRP 13/3886
Psicólogo/Psicoterapêuta

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Jornada de 30 horas: boa para os psicólogos e para a sociedade!!!!!

Jornada de 30 horas: boa para os psicólogos e para a sociedade




Cuidando da profissão | entrevista Rogério Giannini









Fonte: elo7.com.br

O Conselho Federal de Psicologia (CFP) em conjunto com a Federação Nacional dos Psicólogos (FenaPsi) elaborou manifesto pela redução da jornada de trabalho dos profissionais da Psicologia para 30 horas semanais (veja logo acima). A iniciativa ganha força a partir da recente aprovação do PLC 152/2008, que garantiu jornada de 30 horas para os assistentes sociais. Na entrevista a seguir, o presidente do Sindicato dos Psicólogos de São Paulo (SinPsi), Rogério Giannini, explica porque a jornada de 30 horas interessa à população – e por isso conta com o apoio do Sistema Conselhos; responde a questionamentos de psicólogos em relação ao tema e aponta as estratégias a serem encaminhadas junto ao Congresso Nacional para a aprovação de lei nesse sentido.


Jornada de 30 horas
Boa para os psicólogos e para a sociedade

PSI – Como está sendo tratada a questão da redução da jornada dos psicólogos pelo sindicato?
Rogério Giannini - Não é de hoje que os psicólogos estão envolvidos com a questão da redução da jornada. Há um projeto, o 1.858, que tramita no Congresso Nacional desde 1992. Ocorre que, ao longo desse período, diversas situações travaram o avanço dessa proposta. Para dar um breve histórico: o projeto 1.858 chegou a passar pela Câmara e pelo Senado. Nesse processo, sofreu emendas incorporando uma série de pontos que geravam discussão. Por exemplo, tratava de jornada de trabalho e de piso salarial no mesmo projeto. O resultado é que, em 2005, por acordo de líderes, esse projeto foi arquivado. Ainda existe, mas está, como se diz, na gaveta.




PSI – O que ocorreu de lá para cá?
Rogério Giannini - Em 2008, numa iniciativa sem articulação com as entidades da Psicologia, o deputado Felipe Bornier, do Rio de Janeiro, apresentou um projeto, o PL 3.338/08, propondo uma jornada semanal de 24 horas. Como se isso não bastasse, o deputado Eudes Xavier, do Ceará, que fez a relatoria na Comissão de Serviço Público, retirou as 24 horas do projeto e substituiu por “negociação” feita em acordo ou convenção coletiva de trabalho, sob a alegação de que estipular a jornada seria inconstitucional! A aprovação do projeto dos assistentes sociais mostra que essa avaliação não se sustenta e nos ajuda a retomar a luta pela jornada de 30 horas.

PSI – Qual a situação atual?
Rogério Giannini - O projeto deixou a Câmara e foi para o Senado, sob o número 150/09 e lá se encontra na primeira Comissão Legislativa, Comissão de Assuntos Sociais. Para a relatoria foi indicada a Senadora Lucia Vânia (PSDB/GO), que está examinando o processo. Isso nos deixa dois caminhos. Ou atuamos para “enterrar” esse projeto e então apresentar um novo, na mesma linha do projeto da Assistência Social, ou procuramos reformular o projeto já existente, alterando para 30 horas. A vantagem desse segundo caminho é que o projeto voltaria para a Câmara, mas já aprovado pelo Senado. Seria, portanto, um caminho mais curto. Entendo que os manifestos que estamos encaminhando aos senadores podem contribuir para recolocar o projeto 150/09 em sintonia com a proposta de 30 horas.

PSI – O sindicato tem sofrido críticas por sua atuação nessa área?
Rogério Giannini – Tenho ouvido duas críticas de forma bastante frequente. Uma delas é a de que todos os profissionais da área da Saúde têm jornadas regulamentadas por lei, menos os psicólogos. Não é verdade. Até a aprovação, agora, da lei beneficiando os assistentes sociais, somente uma das treze categorias profissionais da Saúde, a dos fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais, tinha limite de jornada. Fizemos questão de publicar a tabela dessas 13 categorias no site do Sindicato para mostrar isso. Vale lembrar, por sinal, que desde 1994, quando foi aprovado projeto beneficiando os fisio/ TOs, nenhum projeto de lei tinha vingado nesse sentido.

PSI – E a segunda crítica?
Rogério Giannini - Muitas pessoas me perguntam como uma profissão que acabou de ser criada já tem jornada regulamentada e os psicólogos, cuja profissão já existe há tanto tempo, não têm? Trata-se de um equívoco. A primeira regulamentação da Assistência Social é de 1945. O que acontece é que, em 1993, essa regulamentação foi reformulada. O curioso é que se criou um certo clima de desânimo na categoria, quando deveria ser o contrário. Brincando um pouco, eu diria que é a síndrome do segundo lugar. Eu digo exatamente o oposto. Que bom que os assistentes sociais tiveram sucesso. Isso vai fortalecer as nossas chances de conseguir também. Que justificativa terá um deputado, que votou a favor da lei de 30 horas para os assistentes sociais, para não votar a favor de proposta semelhante para os psicólogos?

PSI – As 30 horas interessam apenas aos psicólogos?
Rogério Giannini - Não, essa não é uma questão de caráter meramente corporativo. Quando se regula jornada está se falando de condições de trabalho. Não se trata, simplesmente, de “trabalhar menos” ou de “aumentar postos de trabalho”. O fato é que há profissões nas quais o prolongamento da jornada acarreta perda da eficiência. Trabalhar mais de seis horas por dia, em condições que exigem elevada atenção intelectual, como é o caso do psicólogo, leva a isso. O que remete à questão da qualidade do serviço prestado à população. Essa qualidade precisa se manter uniforme do começo ao fim da jornada. É por esse motivo, por sinal, que o Sistema Conselhos de Psicologia se manifesta sobre a questão. Porque é dever da entidade zelar pela qualidade no exercício da profi ssão.

PSI – Que tipo de resistência enfrenta um projeto dessa natureza?
Rogério Giannini – As resistências costumam surgir dos gestores públicos: prefeitos, secretários de saúde e representantes do Ministério da Saúde. Os serviços de Saúde no Brasil ainda têm um corte muito fordista/taylorista, aquela coisa de linha de produção. O foco se concentra em dar conta da fila de pessoas que acorrem ao serviço de saúde, ficando em segundo plano um olhar mais amplo, sobre as condições epidemiológicas em um dado território, por exemplo. Ou seja: se eu tenho um atendimento a cada meia hora, em 40 horas semanais eu tenho 80 atendimentos; em 30 horas, eu tenho 60 atendimentos. O que diz o gestor? “Essa conta não fecha. Sou contra”. Assim, o desafio é rever essa forma de trabalhar, é mudar a organização do trabalho, colocando o foco no interesse da população.

PSI – O que fazer agora?
Rogério Giannini - É fundamental manter o clima de mobilização da categoria para os parlamentares darem prioridade à nossa causa. Os mais de 15 mil manifestos enviados aos deputados e senadores é uma excelente “porta de entrada” para as entidades negociarem. Só em São Paulo, hoje já somos mais de 80 mil psicólogos. É uma força social considerável. Também somos 20 sindicatos estaduais e temos uma entidade sindical nacional, a FenaPsi, estruturada e com condições de, junto com as demais entidades da psicologia, capaz de levar essa luta. Temos boas chances de vitória.

*Retirado do CRP/SP

** Agradecimentos a Eduardo Nogueira pelo repasse

Boa tarde,
Gleidson Marques Silva
CRP 13/3886
Psicólogo/Psicoterapêuta.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Além da Psicologia!!!!!

Trabalhar como terapeuta na visão do Osho tem sido uma tremenda experiência de aprendizado para mim. Gostaria de compartilhar um pouco do que compreendi nesses vinte anos trabalhando tão próximo de um Mestre de meditação.

Existe um mapa simples que sempre norteia o meu trabalho de terapia. Neste mapa a primeira camada, a mais superficial, é composta pelo complexo corpo-mente. Na segunda camada, mais interna, se encontram todos os processos emocionais, as dores, os traumas, as feridas, e todos os tipos de repressões psico-emocionais. Entre essas duas camadas encontramos uma camada intermediária de resistências e estratégias de defesa que objetivam evitar sentir as dores e as feridas. Na quarta camada encontramos os sentimentos puros, ou sentimentos primários. No centro desse mapa encontramos a nossa essência que contêm qualidades como leveza, paz interior, vazio, silêncio, preenchimento... Osho gosta de chamar esse espaço de estado meditativo ou simplesmente de meditação.

Compreender esse mapa ajuda bastante entender o que é ser um terapeuta do Osho que, na minha visão, é aquele que faz tudo, ou não faz nada, em certos momentos, com a consciência focada no centro, presente no seu espaço meditativo.

Osho foi perguntado sobre se podemos resolver nossos problemas indo fundo na meditação ou temos necessidade de voltar ao passado através de uma gama enorme de terapias que conhecemos. Ele respondeu: “Primeiro, não há necessidade absoluta de voltarmos ao passado. Se você realmente medita, tudo será automaticamente resolvido. Mas, se sua meditação não está indo bem, então voltar ao passado pode ser de grande ajuda. (...) Então isto resolverá as dificuldades da meditação, mas isso é um fenômeno secundário e complementar.” Um pouco depois ele diz: “... se um bloqueio vem e você não pode ultrapassar, significa que seu passado está muito entulhado – você terá que voltar ao passado”.

Se observarmos, Osho está sempre visando abrir espaço interno para a meditação. O terapeuta do Osho não quer simplesmente tratar da sua cabeça, do seu ego, nem melhorar o seu corpo. Ele está sempre de olho no centro, na expansão do seu espaço meditativo.

Mas, voltando ao nosso mapa. Existem terapias que trabalham focadas no corpo. Quando bem feitas, elas ajudam, pois podem liberar tensões e nós físicos permitindo uma liberação da bioenergia. Um bom exemplo dessa terapia é a Bioenergética de Alexander Lowen e as massagens em geral, que movem, quando bem executadas, a primeira camada.

O mesmo acontece quando trabalhamos com os processos psíquicos. Mudar alguns padrões psíquicos e condicionamentos mentais ajuda a destravar energias psíquicas que encontram-se congeladas. É bom ressaltar que isto acontece com poucas e boas psicoterapias. A maioria das psicoterapias continua patinando no gelo. Isto é, passam anos sem sair do lugar. Osho compara esses psicoterapeutas com os padres de antigamente. A sala de psicoterapia ocupa atualmente o lugar do confessionário.

Existem outras terapias que atingem o segundo plano, ou nível emocional. Nesse plano estão as modernas terapias, como o Renascimento, as hipnoses, PNL, Regressão, Avatar e muitas outras. Elas visam chegar à origem dos traumas e curá-los. Quando bem aplicadas elas podem levar a espaços de meditação e relaxamento, mas muitas delas trabalham simplesmente com a reprogramação mental. O Renascimento de Leonard Orr, por exemplo, utiliza o pensamento positivo como principal ferramenta. A PNL e o Avatar usam métodos de reprogramação que são úteis quando queremos atingir determinadas metas no plano material, mas me parecem inúteis quando a meta é o amor ou a meditação.

Então, que ferramentas utiliza um terapeuta do Osho? A resposta é simples, não importa a ferramenta, o que importa é a consciência de quem a utiliza. Sabemos que na Osho Multiversity ainda hoje são utilizadas dezenas de modernas técnicas de terapia, que sob a supervisão do próprio Osho foram se transformando em verdadeiros diamantes prontos para operar os mais profundos cânceres da alma, com uma única compreensão, a compreensão da meditação.

Uma outra característica do terapeuta do Osho é que ele próprio vivenciou profundos processos internos de alquimia e meditação e transformou o seu próprio ser num laboratório para sua própria pesquisa, até o momento que ele se sentiu pronto para experimentar no laboratório do outro. Ser terapeuta do Osho é olhar o outro como a si mesmo. É compreender que estamos no mesmo barco e o que eu tenho a mais do que aquele que me pede ajuda é uma ferramenta associada a uma compreensão do que já vivi. Nossos problemas e nossa essência são absolutamente os mesmos.

Mergulhar na quarta camada, a dos sentimentos primários, como a dor e o abandono, por exemplo, somente pode ser facilitada se o terapeuta já tiver tido experiências semelhantes. Pois esse é o espaço que é rodeado pelo odor da morte psicológica. E é exatamente aí onde acontece o mergulho que vai levá-lo diretamente ao vazio e onde é possível experimentarmos espaços profundos de transformação.

Penetrar nesses espaços conscientemente é conhecer a chamada experiência mística, transcendental, é ir além da mente, além da psicologia, além da terapia. É ter a experiência do divino, do uno, do imortal. Ou dito de forma simples experimentar a meditação.

Gostaria de encerrar com a resposta que Osho deu a um terapeuta que se sentia frustrado quando o cliente abandonava a terapia antes dele sentir que o paciente estava pronto para partir e completa perguntando se ele está querendo brincar de Deus, interferindo com a forma que as pessoas querem viver suas vidas. E Osho responde:

“Não precisa temer porque você está brincando de Deus. Muitos estão fazendo isto. Ninguém tem o direito de fazer isto. O melhor que você pode fazer é não brincar de Deus, mas ser um amigo verdadeiro.

O terapeuta tem que ser um amigo verdadeiro. Ele tem que mostrar sua compaixão, seu amor, sua compreensão. Ele tem que fazer com que o paciente sinta que pela primeira vez ele está sendo respeitado como individuo, como um ser humano. Se você começa a brincar de Deus ele é humilhado novamente. Isto é o que ele vem sofrendo por toda a vida no mundo. (...)

Um terapeuta tem que ser humilde, tem que ser um amigo. Ele não é um padre. Ele não está lá para ditar sua vida. Ele está lá simplesmente para ficar a seus pés. Ele não tem que andar por você. Se você cai, ele está lá para ajudá-lo a se levantar novamente. Mas você tem que andar por si mesmo. Todo mundo tem que andar por si mesmo.” (Osho).

por Sw. Ashara

Gleidson Marques Silva
CRP 13/3886

Psicólogo/Psicoterapêuta

Bom Fim de Semana pra quem passar!!!
Luz e paz nos nossos corações e muito equilibrio nosso planeta precisa e as pessoas!!!!!



quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Abra o seu coração !!!!!!!

Osho,
Na maior parte da minha vida, eu me mantive à distância, separado e isolado, e, assim, eu tenho estado protegido das pessoas e situações.
O meu medo mais íntimo sempre foi o de abrir meu coração totalmente. O vasto amor que eu sinto poderia derramar-se como água de um poço transbordando e seria perdido, desviado ou rejeitado.
Minha essência é como uma flor delicada e se ela florescesse num terreno errado ela poderia com facilidade ser maldosamente machucada ou destruída. Este é o meu medo. Seria este o tempo e o lugar para abrir o meu coração totalmente?

"Tom Cassidy,
Este é um dos medos mais básicos de todos os seres humanos. Este é o medo que tem dado origem aos monges e às freiras. Todo o passado da humanidade foi dominado por esse medo, como um câncer da alma.
Parece muito lógico que, se você compartilhar o seu amor, ele será desperdiçado e logo você ficará infeliz. Essa é a lei comum da economia: se você quiser ter mais dinheiro, não o compartilhe, seja miserável. Ganhe o tanto que você conseguir e dê o mínimo possível. Somente assim você consegue acumular e ficar rico.
Isso é verdadeiro no que se refere ao mundo exterior, mas é absolutamente falso quanto ao mundo interior; ali funciona uma lei totalmente diferente. A lei interna é: se você não dá, você perde; se você dá, você conserva. Quanto mais você dá, mais você tem. Quanto menos você dá, menos você tem. Se você não der nada, nada terá, ficará completamente vazio, um túmulo, e dentro do túmulo não há qualquer possibilidade de uma flor desabrochar. As flores necessitam do sol, da chuva, do vento, das estrelas, do céu, dos pássaros. Por mais delicada que ela seja, ela necessita abrir-se para a existência. Em tal abertura, a fragrância é liberada, o esplendor que estava preso é liberado.
Tom, você é basicamente um monge. A palavra monge é significativa; ela quer dizer 'aquele que vive uma vida solitária', aquele que vive uma vida sem relacionamentos, sem relações, sem amar, sem compartilhar; aquele que vive uma vida sem janelas, fechado por todos os lados, completamente fechado em si mesmo devido ao medo de que, se abrir, quem sabe o que acontecerá com seu coração sensível, com seu delicado ser interior? Ele tem medo de rejeição, medo de situações, medo do desconhecido. Ele se agarra a si mesmo, mas esse agarrar só lhe traz morte. Ele pode seguir arrastando-se por anos, mas isto não é vida, isto é suicídio lento.
A própria palavra monge quer dizer aquele que decidiu viver uma vida solitária. Da mesma raiz vem monastério, onde as pessoas vivem solitariamente. Da mesma palavra vêm outras como monopólio, monotonia, monogamia.



Failure - Osho Neo Tarot
Tentar viver por si mesmo, desconectado dos outros, é a idéia mais perigosa que alguém pode ter, e uma vez que ela começa a tomar um colorido religioso, fica muito difícil livrar-se dela, pois ela satisfaz o seu ego, ela alimenta tudo o que é errado em você e destrói tudo o que é belo em você.
Dentro de um túmulo não há qualquer possibilidade de rosas desabrocharem, mas existe a possibilidade de cobras, escorpiões e aranhas; tudo o que é feio e venenoso. Se o túmulo está completamente fechado, o seu próprio ar se torna veneno.
E milhões de pessoas estão vivendo a vida de monges e freiras. Elas podem não ter ido para o monastério, elas podem estar vivendo com suas esposas e filhos, mas estão fechadas. Eles podem estar vivendo no mundo, mas se protegendo muito, sempre cautelosas e calculando, para que suas vidas não tenham qualquer alegria, dança ou canção.


É preciso um pouco de coragem para fazer da vida uma celebração.
Você diz, Tom: Na maior parte da minha vida, eu me mantive à distância...
Você tem sido um suicida! Vida significa estar junto, com a existência, com as árvores, com os rios, com as pedras, com as pessoas, com os animais, com tudo o que é. A única maneira de tornar a sua vida rica é relacionar-se com ela multidimensionalmente. Quanto mais você se relaciona, mais multidimensional você é, mais rico você é, mais você cresce e desabrocha.
Ainda há tempo. Abandone esta idéia estúpida de estar à distância, separado e isolado. Isto você pode fazer depois que morrer! Então você terá tempo, mais do que suficiente. Pelo seu nome, parece que você é um cristão. Então, até o dia do julgamento final, você terá tempo mais do que suficiente. Você poderá viver como um monge em seu túmulo, e você poderá guardar a bíblia e o rosário com você. Mas enquanto você estiver vivo, enquanto esta imensa oportunidade estiver sendo dada a você, viva-a, alegre-se com ela.
Jesus disse repetidas vezes aos seus discípulos, 'alegrai-vos, alegrai-vos! novamente alegrai-vos!' Jesus não era um monge, ele era um homem vivo. Ele viveu com todo tipo de pessoas, os jogadores, os bêbados, as prostitutas, os pecadores, os cobradores de impostos. Ele viveu - e não com a idéia de que era 'mais santo do que você'; ele viveu com grande amizade. Ele gostava das festas que se prolongavam, das danças e da música. E, acredite, ele não estava constantemente evangelizando, ele fazia fofocas também. E ele bebia, ele gostava de vinho - e ele compartilhava isso com seus discípulos. O jejum não era o seu caminho, mas sim a festa.
Não seja monacal. Ser um homem é uma oportunidade tão grande que não há necessidade alguma de desperdiçá-la. E lembre-se de uma coisa: as coisas das quais você tem medo... de abrir meu coração totalmente. O vasto amor que eu sinto poderia derramar-se como água de um poço transbordando...
Por quem você está sentindo esse vasto amor? Só por você mesmo? Porque amar significa ter uma direção, um objeto. O amor é sempre endereçado a alguém. A quem o seu amor é endereçado? Você é como um envelope ainda não aberto: você nem mesmo leu o que está escrito na carta, você nem sabe se existe uma carta dentro ou se está simplesmente carregando um envelope vazio. A não ser que abra o envelope, você nunca saberá. Abra-o!
E lembre-se, o poço nunca se esgota porque no fundo ele é conectado ao oceano. O oceano está continuamente alcançando-o em pequenas nascentes. Na verdade, se você não tirar água do poço, ele morrerá, porque as nascentes não serão mais necessárias e ficarão bloqueadas. Não sendo usadas, elas perderão a sua função, e a velha água se tornará estragada e morta, talvez venenosa. É bom para o poço que sua água seja tirada. Quanto mais água você tirar, mais correntes de água fresca chegarão ao poço. O poço não está desconectado da existência.
Certamente o seu coração é um poço. Se ele for mantido fechado, você não captará a energia do universo fluindo para você. Continue se esvaziando e você ficará surpreso: quanto mais se esvaziar, mais cheio você ficará.
Por isto é que Gautama, o Buda, enfatiza a palavra shunya, zero. Torne-se um zero! Se você quiser tornar-se cheio, a sua mensagem é, simplesmente se torne vazio, um nada, só espaço, puro espaço, um espaço sem limites contendo nada. Apenas esvazie-se totalmente e, você não será capaz de acreditar, um milagre acontece.
Quando você está totalmente vazio, a existência toda entra em você. Todas as estrelas estão dentro de você, assim como o sol e a lua. De repente você se vê tão vasto quanto o universo.
Ser nada é a única maneira de ser tudo. Ser ninguém é a única maneira de ser divino. O vazio traz o divino.
E não se preocupe com seu amor ficando perdido; nada jamais é perdido. O mundo sempre contém a mesma quantidade de tudo, nem mais nem menos. Isso agora é um fato científico: não existe um simples átomo a menos ou a mais do que o que sempre existiu. A quantidade do universo permanece absolutamente a mesma, pois de onde alguma coisa nova pode vir? A existência compreende tudo, não existe 'algum outro lugar'. E para que outro lugar qualquer coisa pode ir? Não existe outro lugar para se ir, assim, nada jamais é perdido. Talvez possa demorar um pouco mais para se alcançar a pessoa certa, mas sempre se alcança.

Cante a canção e não se preocupe! Ela alcançará a pessoa certa no tempo certo. Se não for hoje, será amanhã, se não for nesta sua vida, então em algum outro tempo. Mas ela alcançará, com certeza. Ela sempre encontra a pessoa certa que pode absorvê-la. Simplesmente cante a canção. Não se preocupe com quem ela irá alcançar; toda a sua preocupação deve ser: cantar com totalidade, e isso é tudo. Mais do que isso, não é exigido de ninguém. Não lhe cabe saber se ela será ouvida ou não.
Quando uma flor nasce no meio de uma selva, ela não está preocupada se alguém vai passar por ali, 'para conhecer a linda fragrância que ela está liberando', ela simplesmente libera a fragrância. Se ela alcançar alguém para cheirá-la, ótimo; se ela não alcançar, qual o problema? A flor desabrochou, ela se ofereceu ao universo. Agora fica por conta do universo fazer o que quiser com ela.
The Journey - Osho Transformation Tarot


Nada jamais é perdido, desviado ou rejeitado.
Mas as pessoas se sentem muitas vezes rejeitadas porque antes mesmo delas darem algo, já existe a expectativa. Se sua expectativa não for satisfeita, elas se sentem rejeitadas. É a expectativa que está criando problema, não o amor.
Dê o amor sem qualquer corda amarrando-o. Dê o amor pelo puro prazer de dar. Alegre-se dando-o.
O pássaro cuco ao cantar distante, não se preocupa se alguém está gostando ou não. A estrela distante - você pensa que ela está preocupada se um poeta está escrevendo um belo poema sobre ela ou se um Vicent van Gogh está pintando-a, ou se um fotógrafo ou um astrônomo estão preocupados com ela? A estrela não está interessada nisso. A sua alegria está em continuar brilhando.
Simplesmente abra o seu coração, Tom Cassidy. E abra-o totalmente, sem quaisquer expectativas e condições. É certo que ele alcançará o coração certo; isto sempre acontece.
Quando eu comecei a cantar a minha canção, não havia ninguém para ouvi-la. Depois as pessoas começaram a chegar. Eu fiquei surpreso: como elas ouviram? Por que essas pessoas continuam vindo? De todas as direções, de todo o mundo as pessoas começaram a vir. Como você chegou aqui? E eu não estava esperando que alguém viesse. Eu estava simplesmente cantando a minha canção, eu estava desfrutando isso.
Há poucos dias um sannyasin perguntou, 'Osho, eu tive um sonho: eu estava sentado sozinho no Buddha Hall e então você chegou. Você sentou-se na cadeira e eu fiquei muito intrigado porque eu estava só e não havia mais ninguém no Buddha Hall, todo ele estava vazio. E eu estava preocupado com o que você iria fazer.'
Não precisa se preocupar, eu farei a minha parte. Eu não posso deixá-lo só. Eu falarei para você por uma hora e meia continuamente. E você também não pode escapar. Quando há muitas pessoas, umas poucas conseguem escapar, mas se você está sozinho, para onde poderá ir? Eu seguirei você! Sem pessoa alguma, ainda que você não esteja lá, eu estarei sozinho no Buddha Hall, eu cantarei a minha canção.
Tente isso um dia! Eu ainda contarei minhas piadas e se não houver ninguém para rir delas, eu mesmo rirei. Se não for da piada, porque eu já a conheço, estarei rindo do fato de não ter ninguém lá e, ainda assim, eu estar contando uma piada! Que ridículo!
Tom, não se preocupe.
Você diz: Minha essência é como uma flor delicada...
Então, permita que ela assim seja! Ela é bela, ela é uma flor delicada. Permita que os outros também participem de sua fragrância, permita que os outros também bebam de sua fonte. Logo a flor morrerá, à tardinha ela já terá ido. Assim, não a esconda, pois mesmo se escondê-la, você não conseguirá salvá-la. De manhã, a rosa abre suas pétalas, ao final da tarde as pétalas definham e a rosa se vai. Antes que ela se vá, permita que ela seja compartilhada. Deixe que as abelhas venham e façam o zumbido, deixe que os pássaros cantem, deixe que as crianças brinquem ao seu redor. Deixe todo mundo se alegrar! Do contrário, você estará morrendo sem estar realizado.
Ela é uma flor delicada, mas quanto mais delicada for, mais rapidamente ela tem que se abrir à existência, ela não pode esperar pelo amanhã - talvez ela não esteja aqui amanhã.
E você está preocupado: se ela florescesse num terreno errado... Não há terreno errado em lugar algum. Na verdade, se uma rosa consegue florescer num deserto, aquele será o mais belo terreno e ela será uma rosa excepcional. Se ela puder desabrochar entre pedras, então aquela rosa deve ser um Buda, não menos do que isso; um Cristo, não menos do que isso. Num terreno adequado, num jardim, as flores comuns desabrocham, mas as flores extraordinárias desabrocham também entre as pedras e no deserto. Assim, não se preocupe com o terreno e não se preocupe que ela poderia com facilidade ser maldosamente machucada ou destruída.
Tudo que nasce será destruído, por isso, antes que ela seja destruída, permita que ela tenha a sua dança.
E você está me perguntando: Seria este o tempo e o lugar para abrir o meu coração totalmente?
Todo tempo e todo lugar é o lugar certo! E porque você está aqui neste momento, permita que este seja o lugar. Onde você poderia encontrar um espaço melhor, com pessoas mais bonitas, mais receptivas, mais amorosas do que estas que estão à sua volta neste Buddhafield?
Tom Cassidy, você esperou tempo demais, não espere mais. Este é o tempo. Nunca confie no momento seguinte; o amanhã nunca vem. É agora ou nunca!"


OSHO - Zen: Zest, Zip, Zap and Zing - Capítulo 12 - Pergunta nº 1


Gleidson Marques Silva
Psicólogo/Psicoterapêuta
CRP 13/3886
Feliz quinta-feira pra quem passar!!!